Cel. Fabriciano, 29 de novembro de 2020

OUÇA AGORA A RÁDIO EDUCADORA

RÁDIO EDUCADORA

01 nov
Imagem: ofielcatolico.com.br

O que significa ser santo?

Compartilhar

No dia 01 de novembro a Igreja celebra o dia de todos os santos e santas. Mas o que significa para o cristão ser santo? A Igreja proclamou solenemente, na Constituição do Concílio Vaticano II chamada “Gaudium et Spes”, que significa Alegria e Esperança, que todos os batizados são chamados a ser santos e santas em Jesus Cristo. Mais recentemente o papa Francisco também abordou o assunto no belíssimo documento “Gaudete et Exsultate”, uma exortação apostólica que fala da santidade para o mundo atual. Aliás, sugiro a leitura desse documento.

Quando lemos as Escrituras Sagradas encontramos a proclamação de que somente Deus é santo. O Senhor é aclamado com “santo, santo, santo” (Is 6,3). Ele é a fonte de toda santidade, Nele nos é dada a referência de vida para que construamos a nossa própria vida de santidade. Mas como ser santo como Deus? Para nós, humanos, a santidade de Deus parece inalcançável. Mas Deus sempre nos surpreende e por isso, “na plenitude dos tempos enviou o seu filho, nascido de mulher”(Gl 4,4) para que em Jesus fôssemos capazes de nos aproximar da santidade de vida. Jesus foi homem com nós, ou seja, fica um pouco mais fácil entender o que devo fazer para ser santo – basta ter em mim “os mesmos sentimentos de Jesus Cristo”, parafraseando a exortação de São Paulo aos Filipenses (Fl 2,5).

Ser santo nada mais é do que viver bem, honestamente e com consciência tranquila o projeto que Deus sonhou para nós. Ser santo é seguir o evangelho de Jesus na vida concreta do dia-a-dia, sem separar fé e vida. Toda e qualquer pessoa pode santificar-se no seu estado de vida, ou seja, casados são chamados a ser santos no casamento, padres são chamados a ser santos no sacerdócio, religiosos e religiosas são chamados a ser santos na consagração; temos que ser santos no exercício de nossa vida profissional e social – o mundo é o terreno onde eu planto as sementes da minha santidade.

A Igreja Católica, entretanto, reconhece que algumas pessoas que bem viveram sua vocação neste mundo depois de falecidas foram acolhidas por Deus no Céu e as considera exemplos de vida para todos nós. São os santos canonizados. Mas existe também uma multidão de pessoas anônimas que foram santas. Lembro-me de muitos rostos, de homens e de mulheres, que na minha vida são verdadeiros santos, ajudando-me a compreender a beleza da vida e a lutar nas horas da dor e tristezas. Torne-se santa minha irmã, esta é a nossa vocação e de Deus recebemos a graça necessária para viver bem e feliz nossa vida. Um abraço e fique com Deus.

Fonte: Padre Evaldo César de Souza, C.Ss.R

VEJA TAMBÉM