Cel. Fabriciano, 27 de outubro de 2020

OUÇA AGORA A RÁDIO EDUCADORA

RÁDIO EDUCADORA

17 out
Imagem: paroquiasaogeraldo.com.br

O dízimo e a missão da Igreja

Compartilhar

A pastoral do dízimo é essencialmente uma dimensão missionária. O objetivo é promover a evangelização de cada pessoa e da sociedade. Tanto quanto às demais pastorais, esta deve ser meio de santificação do cristão batizado. Contudo, só o cristão consciente da sua fé e da sua pertença a uma comunidade de fiéis é um dizimista autêntico.

O dízimo precisa ser uma experiência da fé da pessoa que se abre à solidariedade. Se pode dizer que ele se configura no que São Tiago diz na sua carta: “a fé se não tiver obras é morta em si mesma” (Tg 2,17). O ponto central da conscientização do dízimo é a “conversão” para partilha (Cf. 1Cor 16,1-2; 2Cor 9,1-15). Por isso, a dinâmica do dízimo é essencialmente comunitária.

Para ser reconhecida como virtude cristã, o dízimo tem que ser expressão de amor e de liberdade interior. A dimensão missionária do dízimo precisa ser tratada como sinal de pertença eclesial. A vida do fiel que é discípulo de Cristo e, que, pelo seu batismo está consagrado e vinculado a Deus e a uma comunidade cristã se une completamente a todos os desafios econômicos, formativos, missionários e caritativos do Povo de Deus.

O cristão que ama a Jesus Cristo e a sua Igreja, na pessoa de cada irmão, será um dizimista feliz e comprometido com o projeto do Reino de Deus. Portanto, para o que é do Senhor nós guardamos e consagramos a melhor parte. Este é o sentido missionário do dízimo.

Fonte: Baseado no texto do padre Matias Soares, Rio Grande do Norte